DCTA: Ciência e Cultura

Nossa gente também é cultura

Peças produzidas por servidor do DCTA já participaram de três exposições entre julho e setembro deste ano. Em outubro ficarão expostas no espaço Flávio Craveiro.

Por Fernanda Soares

Gilberto Vieira Mendes, técnico em informática, é servidor do ITA/DCTA há 26 anos. De Taubaté, viu no ITA não apenas uma oportunidade de emprego, mas uma forma de também continuar seus estudos. Paralelamente ao seu trabalho no instituto, Gilberto foi proprietário de uma empresa de informática por 16 anos. A empresa fechou há três anos e muito material ficou parado. Parte, Gilberto vendeu ou doou para escolas de informática. Outra, sem valor comercial, sobrou. Foi rejeitado pelas escolas.

Ele não queria jogar no lixo, destino comum nesses casos, para evitar a contaminação do meio ambiente. Em abril deste ano, um trabalho de escola da fi lha Gabriela deu destino a uma pequena parte da sucata armazenada em casa.

O trabalho era a confecção de uma plataforma de petróleo, com torres e helicópteros. A maquete teve uma excelente repercussão e as amigas da Gabriela queriam levar as peças pra casa. Incentivado pela esposa Teresa, que também trabalha com artesanato, e após o sucesso da maquete, Gilberto passou a olhar as sobras de informática de forma diferente. Decidiu criar.

HDs, placas, circuitos e mouse começaram a se transformar em aviões, aranhas, anjos, pássaros, grilos, cobras, tartarugas, robôs, vasos de flores... “As ideias vem conforme vou encontrando as peças pelo caminho. Às vezes olho a peça e tenho vontade de fazer três esculturas de uma só vez”.

Inspirado pelo trabalho do INPE, os satélites SCD e CBERS ganharam sua versão miniaturizada nas esculturas de Gilberto.

Em poucos meses de trabalho, já produziu mais de 60 peças, todas catalogadas com a indicação dos materiais utilizados, todos reciclados.

O único material que utiliza que é comprado é a cola quente. “Quero que as pessoas passem a dar valor ao lixo e tirem essas coisas do descarte. As pessoas precisam rever seu consumo e ter novos conceitos. A terra já não comporta todo esse lixo nosso.”

Suas peças já participaram de três exposições entre julho e setembro deste ano. Em outubro fi carão expostas no espaço Flávio Craveiro durante todo o mês.

Os filhos de Gilberto, Tiago e Gabriela, agora possuem mais atribuições em casa. Eles ajudam o pai a divulgar seu novo trabalho através do fotoblog: http://artecomreciclavel.nafoto.net/

Compartilhe
Share this

testando