DO MICRO AO MACRO: DA MINHA CALÇADA AO AQUÍFERO GUARANI

Salvar a água é salvar a Terra

Carta de uma funcionária do INPE ao jornal do SindCT

Ei inpeano!
Acorda

Pô! A sua distração pode fazer com que eu “vá pro espaço”!...

Tá! Eu sou lindo, forte, famoso, respeitado e já tenho 50 anos;
mas acredite: a minha vida está em suas mãos!

Cuide de mim!

Como? Posicionando-se contra as lavações de calçadas e vidraças que,
para tristeza minha, tem acontecido aqui no meu campus! Seja o meu porta-voz!

Diga “Não” a essa forma de limpeza que é um derramamento de água!
Lute por mim!

Talvez o mundo não saiba, mas você sabe!

A água que aqui tem sido larga e inconsequentemente mal utilizada
foi tratada pela própria natureza e está pronta (pron-ta) para consumo humano!
É o líquido mais importante que existe, ganhando em importância até mesmo do leite materno. Ela é insubstituível e imprescindível a todo ser vivo.

É patrimônio mundial. É o sangue da terra. É obra de Deus.

Use com responsabilidade este recurso.

Eu sei, você sabe, nós sabemos! Eu e você formamos o par perfeito;
uma dupla invejável e invencível, na defesa do nosso planeta.

A humanidade conta conosco. Vamos, reaja!

Não ignore o meu grito!

Eu, como todos os seres vivos, dependo de H2O.

Lembre-se companheiro, seu eu “for para o espaço”, você também vai.

(a autora prefere não se identificar)



Aquífero Guarani é grande riqueza do Brasil

Por Claudia Santiago

A cidade de Araraquara receberá na segunda quinzena de dezembro, por iniciativa do vereador Nascimento (PT), o II Fórum Panamericano das Águas do Aquífero Guarani.

O Guarani atinge uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados. É o principal manancial de água doce da América do Sul e o maior reservatório de água subterrânea transnacional do mundo. Estão assentados sobre ele oito estados brasileiros, mais o Norte da Argentina e do Uruguai, e parte do Paraguai.

A maior parte, dois terços da área total, fica no Brasil: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. São Paulo é fortemente beneficiado por ele.

De acordo com o Ministério da Agricultura “o Aquífero possui água de excelente qualidade, extraída através de poços artesianos e semi-artesianos, utilizada no abastecimento de centenas de cidades de médio e grande porte.

Sua importância é estratégica, uma vez que o volume aproveitável de água é de 40 km3/ano, superando em 30 vezes a demanda de cerca de 15 milhões de pessoas que vivem em sua área de ocorrência.

Na prática, isso significa que o aquífero tem uma reserva potencial para abastecer toda a população brasileira por cerca de 2.500 anos, tornando-se assim, de vital importância para as gerações futuras do Cone Sul.” Toda essa riqueza, porém, requer uma série de cuidados.

Fertilizantes químicos e pesticidas por parte de subsidiárias da Coca- Cola e do sistema de produção suína no Sul do Brasil, por exemplo, contaminam esta dádiva da natureza.

A superexploração, por sua vez, pode levar ao esgotamento destes recursos hídricos.

Compartilhe
Share this

testando