São Luiz do Paraitinga realiza Festival de Música Junina

ARTE E MOVIMENTO: música para todos

Por Fernanda Soares

A estância turística de São Luiz do Paraitinga, terra de Elpídio dos Santos e Oswaldo Cruz, realiza no dia 9 de julho o 15º Festival de Música Junina.

Localizada no Parque Estadual da Serra do Mar, a cidade é conhecida pela preservação da cultura local.

Os eventos religiosos são tradição na cidade, tanto quanto os profanos.

Assim, o carnaval de marchinhas carnavalescas e a festa do Divino Espírito Santo atraem habitantes de todo o Vale.

São Luiz é garantia de festa 365 dias por ano.

Com apenas 10.400 habitantes cultiva a fama de cidade de músicos e do povo mais feliz do Vale do Paraíba.



“Ao menos a pena sei que mereço ganhar”

Eduardo Bandeira, músico desde 1985 e morador de São Luiz há dois anos e meio, compôs a música “Moda da Pena” inspirado pelo desejo de Patrícia Guimarães de ganhar a Pena do Festival.

A pena é o prêmio do sexto colocado.

“Acho mais difícil fazer uma música para ganhar a pena do que para ganhar o primeiro lugar. Todo mundo capricha porque tem a intenção ficar em primeiro, eu queria uma música para ganhar a pena `tão linda e pequena, acho que dá pra carregar´.”

Patrícia participou de outros concursos promovidos pela cidade.

Ganhou o segundo lugar no Festival de marchinhas carnavalescas em 2009 com a música “Arco Íris”, em parceria com Clara Andrade e Roberto Santos.

Em 2010, também em parceria com Clara Andrade, garantiu mais uma vez a segunda colocação no Festival de Música Junina com a canção “Santo Arraiá”.

Patrícia Guimarães iniciou seu contato com a música aos nove anos, quando entrou para a Fanfarra de São Luiz do Paraitinga.

De 1992 a 1998 tocou trompete na banda de apoio dos festivais de marchinhas.

Somente em 2009 passou a ter a música como profissão. Desde então, cismou com a Pena.

A pequena São Luiz agora se prepara para a final do Festival de Música Junina, que acontece durante o Arraiá do Chi Pul Pul.

Das 18 músicas selecionadas para dois dias de eliminatórias, 10 finalistas serão apresentadas no último dia do Arraiá:

O Fogo de João - Marco Aurélio e Thar
Muquirana - Galvão Frade
No Calor da Fogueira - Léo Couto, Julia Coelho e Caio Lâmbis
Sai que é Rolo - Benito e Thar
Moda da Pena - Eduardo Bandeira
Camisa de Flanela - Galvão Frade
A Benção de Santo Antônio - Paulo Baroni
O Sabor da Fruta - Ditão Virgilio e Eduardo Rennó
Chora Paulo - Pedro Henrique Gava
Mantega - Cristiano Carimbó e Léo Correa

Inusitada, a premiação chama a atenção:

1º Lugar - um bezerro + troféu + R$ 1.500,00
2º Lugar - uma leitoa + troféu + R$ 800,00
3º Lugar - um pato + troféu + R$ 300,00
4º Lugar - um frango + troféu
Lugar - um ovo + troféu
Lugar - uma pena + troféu



Moda da Pena

Eduardo Bandeira

É pena mas já não sei fazer mais moda faceira
Daquelas que arrepia até os cabelo da beira
É pena mas minha viola não tem uma corda inteira
Não dá pra tocá pagode, tão pouco moda campeira
Meus dedo tá tão inchado, não aguenta pontear
Violeiro de fazer pena, nem de pé dá pra parar

Tem pena... tem pena... Eu vim aqui pra tocar
Ao menos a pena sei que eu mereço ganhar
Tão linda e pequena, acho que dá pra carregar
Violeiro de fazer pena, pena merece ganhá!

Compartilhe
Share this

testando