Dengue requer cuidados, sem desespero

João Batista de Oliveira*

A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que pode picar de dia e de noite.

A proliferação do mosquito, em estado larval, se dá em água limpa e parada. O ciclo é de 5 a 6 dias entre a picada do mosquito e a manifestação da doença, geralmente no terceiro dia, quando surgem os sintomas.

A dengue nesta época do ano habitualmente apresenta uma maior incidência, e por vários motivos, especialmente descuido das pessoas nas medidas preventivas para se evitar criadouros do mosquito, os números têm aumentado expressivamente. Há um risco de complicações da dengue, porém isso habitualmente está relacionado a alguns problemas de saúde que a pessoa já possuía ou ao uso de medicamentos que faz, como por exemplo, anticoagulantes. São sintomas da dengue: febre alta de aparecimento repentino; dores nos ossos e nas articulações; dor de cabeça; dor atrás dos olhos; moleza.

Os sintomas de agravamento são: sangramento de nariz, boca, gengiva; fezes ou urina com sangue; vômito com sangue; dor abdominal forte e contínua; desmaios; dificuldade para respirar. O tratamento para a dengue é hidratação. Para alguns casos é preciso ser na veia, mas para muitos outros a hidratação oral é suficiente. Caso apresente os sintomas, procure um serviço médico.

Não há necessidade de repetir hemogramas diariamente para acompanhar o número de plaquetas. A repetição de exames só se justifica se houver sinais de agravamento do estado do paciente. 1. Tome muito líquido durante o dia: água, suco, gatorade, água de coco... 2. Para os sintomas de ânsia/vômito ou coceira o médico poderá lhe passar um remédio 3. NÃO tome remédios por conta própria 4. NÃO use antiinflamatórios (Diclofenaco, Nimesulida ou outros) 5. Se você utiliza AAS, Clopidogrel, Marevan, Coumadin, Warfarina, Xarelto, Pradaxa ou outros do gênero, deve procurar o seu médico e informar a suspensão temporária desses medicamentos. Para evitar a transmissão da doença há que se eliminar o mosquito. Cada um passa a ser responsável pela sua residência e entorno. Alguns cuidados indispensáveis: • mantenha a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada; • remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas; •não deixe água da chuva acumulada sobre a laje; • lave semanalmente por dentro com escovas e sabão os tanques utilizados para armazenar água; • mantenha bem tampados tonéis e barris de água; • encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas; • se você tiver vasos de plantas aquáticas, troque a água e lave os vasos principalmente por dentro com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana. Cuidados adicionais: • guarde garrafas sempre de cabeça para baixo; • entregue seus pneus velhos para o serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água em local coberto e abrigados da chuva; • coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada.

*O autor é médico

Compartilhe
Share this

testando