À espera de coerência no MCTI

 

As dificuldades dos órgãos da Carreira de Ciência e Tecnologia foram amplamente denunciadas pelo Fórum de C&T, organização que reúne as entidades representativas dos servidores desta carreira em todo o país, em audiências públicas na Câmara, em 2013, e pelo SindCT, no final de 2014, em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, que debateu o Programa Espacial Brasileiro.

 

Gestões junto ao então ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Clélio Campolina, desencadearam um levantamento da situação dos recursos humanos nos vários órgãos da carreira. O término deste trabalho, entregue às Comissões Internas do Plano de Carreiras das Unidades de Pesquisa do MCTI, será apresentado ao novo ministro do MCTI, Aldo Rebelo, e contribuirá para subsidiar ações junto ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

 

Esperamos que o novo ministro do MCTI trabalhe pelo prestígio dos institutos de pesquisa, com mais investimentos, mais vagas para concurso público e em favor das atividades de gestão do conhecimento, mantendo assim coerência com seu discurso de posse, que destacou a importância do desenvolvimento tecnológico para o progresso do povo e o fortalecimento da democracia (veja matéria na p. 4).

 

Os órgãos da área de C&T não suportam mais as consequências de décadas sem incentivos, necessitam de ações que estanquem a extinção de suas capacitações únicas. Ainda neste mês, o Fórum de C&T iniciará os trabalhos do ano em encontro que discutirá a conjuntura e a estratégia para o encaminhamento das questões salariais e em prol do fortalecimento dos órgãos da Carreira.

 

Perseverança

Enfrentando reveses, o êxito no lançamento do satélite CBERS-4, lançado em tempo recorde no último mês de dezembro, apesar da quase estagnação do setor, demonstra perseverança e capacidade realizadora.

 

Também é boa a notícia do primeiro voo da aeronave KC-390, um marco tecnológico levado a cabo pelo maior exemplo de inovação brasileira, a Embraer, criada a partir do avião Bandeirante, o qual foi desenvolvido pelo então Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IPD), atual Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE-DCTA). Prova que o dinheiro investido em C&T tem retorno garantido.

 

Em interessante estudo, noticiado nesta edição, a pesquisadora Flávia de Holanda Schmidt, do IPEA, apresenta boas propostas de enfrentamento dos problemas do setor espacial brasileiro. Atenção ao artigo do dr. João Batista de Oliveira, suas explicações e conselhos sobre o câncer de próstata. É preciso cuidar também da saúde pessoal. Por fim, saúde e cidadania andam juntos.

 

Respeitar e cuidar dos mais vulneráveis no trânsito é obrigação de todo motorista, na construção de uma cidade da qual possamos nos orgulhar. Boa leitura.

Fórum de C&T reúne-se em Manaus para debater mobilização da categoria

Acontece nos dias 25, 26 e 27 de fevereiro, em Manaus, o seminário do Fórum de C&T que definirá encaminhamentos para a organização dos servidores da Carreira de C&T em todo o país, com vistas à campanha salarial da categoria para o ano de 2015.

 

O Fórum de C&T é uma organização que congrega representantes de 27 entidades, entre sindicatos e associações, ligadas aos vários órgãos do governo federal que compõem a Carreira de C&T. Por se tratar de uma carreira “transversal”, ela engloba institutos e órgãos ligados a diferentes ministérios, como o próprio MCTI (Ciência e Tecnologia), Defesa, Saúde, Cultura e outros.

 

Neste seminário serão debatidos temas como a conjuntura política e social do país, a situação dos institutos e órgãos da carreira em termos de recursos para investimentos, carência de recursos humanos e condições de trabalho, propostas para o aprimoramento da Carreira de C&T, estrutura e detalhes da nova tabela salarial a ser negociada com o Ministério do Planejamento (MPOG), organização interna do próprio Fórum de C&T, além de diretrizes de ação a serem submetidas aos servidores da base para a mobilização da campanha salarial.

 

Por fim, a atividade terá por objetivo a aprovação da chamada “Carta de Manaus”, onde se pretende sistematizar a visão geral da carreira sobre o atual momento político e seus reflexos sobre as reivindicações que serão feitas no âmbito da campanha salarial 2015. Veja na próxima edição do Jornal do SindCT matéria trazendo os principais tópicos e encaminhamentos debatidos no seminário.

Compartilhe
Share this

testando