Aos 83 anos, Honória esbanja bom humor

Gosto de passeios e leituras

Shirley Marciano

Depois de trabalhar a vida inteira como enfermeira (só no DCTA 28 anos), Honória de Costa Barros emprega sua energia para consertar peças de vestuário e outros objetos, destinados a um asilo de idosos. “Sinto-me honrada por poder contribuir”, diz.

Também gosta de passeios Goiana de Jataí, ela começou a trabalhar no ambulatório do antigo CTA, atual Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em 1955. Ali desempenhou as funções de enfermeira por mais de 28 anos. Hoje, com 83 primaveras, 30 anos de aposentada e um humor contagiante, ela explica que desenvolve muitas atividades, dentre elas a costura de roupas e o conserto de sapatos que doa a um asilo de idosos. A aposentadoria também deu a Honória de Costa Barros a possibilidade de viajar mais.

Tanto que vai sempre visitar os parentes no seu estado de nascença, onde tem fortes raízes. O início de vida não foi fácil para Honória. Embora os pais, Cantimiro Costa e Sebastiana Vilela, tenham herdado fazendas, a vida era de muito trabalho e esforço. Ela explica que o pai teria deixado de investir nas terras, as quais ficaram abandonadas e, consequentemente, foram ocupadas por camponeses da região. Além disso, imagine manter 15 filhos!

A atividade da família, que gerava o sustento de Honória e seus muitos irmãos, era a fabricação caseira de linguiças e sua venda de porta em porta na cidadezinha goiana. “Tínhamos uma vida simples. Eu era menina e vendia as linguiças na vizinhança. Inclusive, gostava de ir à porta do cabaré porque tinha muita curiosidade de olhar o que havia lá dentro”, conta dando gostosas gargalhadas.

Tempos depois, ela ingressou no curso superior de enfermagem, na Escola Pública de Missionários Americanos em Rio Verde (GO). Trabalhou em Uberlândia (MG) durante quatro anos, em Sorocaba (SP) um ano, e, finalmente, chegou a São José dos Campos para trabalhar no DCTA e se pós-graduar em Administração Hospitalar. “Onde me formei era um hospital-escola.

Atendíamos a toda a comunidade, aprendendo na prática a rotina de trabalho de um enfermeiro”.

Trabalho aos domingos

Ela lembra que desde que chegou ao DCTA teve que se dedicar muito, pois não havia ainda o atual hospital. “Era um ambiente muito bom, mas a demanda diária era muito grande, o que exigia bastante empenho, a ponto de trabalhar até mesmo aos domingos. Mas tenho sensação de dever cumprido, por ter feito um bom trabalho junto a toda equipe” Além de servidora no DCTA, também deu aulas de enfermagem no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) de Taubaté antes de se aposentar, chegando a formar mais de 500 profissionais.

“Ensinar também é uma forma de aprender, então foi uma fase bastante interessante, porque a gente acaba deixando um legado na vida de alguém”. Mãe de dois filhos, que lhe deram quatro netos, Honória vive hoje tranquilamente no bairro Jardim Paulista, região leste da cidade, onde faz seu trabalho de costura, consertando peças de roupas, sapatos e outros objetos, a fim de deixá-los em bom estado para doar a um asilo de idosos do bairro dos Freitas, com 43 assistidos.

“É um trabalho muito gratificante. Sinto-me honrada por poder contribuir de alguma forma, pois uma coisa acaba sendo extensão de outra na vida. Na enfermagem cuidava das pessoas e hoje, de um outro modo, ainda continuo a fazê-lo”.

Além dessas atividades, Honória ainda encontra um tempo para os livros. Ela destaca que sempre gostou de ler e por isso nunca parou. Atualmente está lendo e apreciando um livro sobre romance espírita — e faz questão de ressaltar que estes são seus preferidos.

“Eu adoro ler sobre diversos assuntos, mas esses romances me cativam mais, fico fascinada com as histórias”. Honória sempre participa dos passeios organizados pelo SindCT, que são direcionados aos aposentados. E faz sucesso. Todos contam que ela é muito ativa, bem- -humorada e falante. “Eu gosto de ir aos passeios porque é um momento que você tem para conversar, conhecer lugares e, principalmente, aproveitar a vida”, finaliza.

Inscreva-se nos passeios do SindCT

Atenção, aposentadas e aposentados do SindCT: para se inscrever nos passeios da entidade, basta entrar em contato com a Secretaria pelo telefone (12) 3941-6655. Todos os custos da viagem são pagos pela entidade, que por sua vez é mantida pela base filiada.

 

Compartilhe
Share this

testando