Em memória de nossos companheiros

Em memória de nossos companheiros

Amintas Rocha Brito, Antonio Sergio Cezarini, Carlos Alberto Pedrini, Cesar Augusto Costalonga Varejão, Daniel Faria Gonçalves, Eliseu Reinaldo Moraes Vieira, Gil Cesar Baptista Marques, Gines Ananias Garcia, Jonas Barbosa Filho, José Aparecido Pinheiro, José Eduardo de Almeida, José Eduardo Pereira, José Pedro Claro Peres da Silva, Luis Primon de Araújo, Mario Cesar de Freitas Levy, Massanobu Shimabukuro, Mauricio Biella de Souza Valle, Roberto Tadashi Seguchi, Rodolfo Donizetti de Oliveira, Sidney Aparecido de Moraes, Walter Pereira Junior, 21 companheiros que se transformaram em monumento.

Heróis sem noção do ato heróico, protagonistas a quem coube segurar o estandarte da história desconcertante de um sonho, de um ideal, de uma inocência, de uma imaturidade em busca de realização, escolhidos pela trama da vida para estarem ali. Ironicamente, se o desfecho da operação São Luiz tivesse sido outro, se o VLS tivesse subido com atitude e determinação, com graciosidade e leveza, estes irmãos teriam voltado anônimos, felizes, aliviados, plenos da sensação da missão cumprida, mas definitivamente “servos inúteis”, que apenas teriam cumprido a obrigação da responsabilidade profissional, a qual se é pago com o salário mensal e nada mais.

Seguiriam heróis de seus filhos, de suas esposas e de seus amigos. Eles passaram, todos passaremos; dizem que à porta do cemitério de Paraibuna se pode avistar a inscrição fatídica: “Nós que aqui estamos, por vós esperamos”.

E agora, o que resta? Angustia- -me, nesta reflexão, o rescaldo da responsabilidade destes companheiros, cuja memória já desvanece. O VLS precisa ter sucesso, devemos isto a eles, aos seus, a nós mesmos, para que possamos seguir com entusiasmo e sinceridade de propósitos, confiantes na justiça telúrica de que sempre nos honraremos uns aos outros. Esta edição é especial porque honra a memória destes companheiros com palavras e deferências.

Os artigos finais se dignam a uma honraria objetiva, focando os problemas que o programa VLS enfrenta: falta de visão estratégica de estado, porque programa espacial não se produz com tibiez e falta de vontade política.

Compartilhe
Share this

testando