Propaganda e Cinema a Serviço do Golpe 1962-1964

Denise Assis: Editora Mauad

Propaganda e Cinema a Serviço do Golpe 1962-1964

A jornalista Denise Assis, que durante mais de 20 anos atuou em alguns dos principais veículos da imprensa brasileira, desenvolveu ao longo do ano 2000 - e expõe neste livro - uma pesquisa que recuperou documentos até então inéditos e 14 filmes de propaganda que prepararam a sociedade para 1964. 

Percorrendo uma trilha hoje despercebida do período 1962-1964, Denise encontrou a origem intelectual-ideológica do golpe no Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais (Ipês), que calçou com Propaganda e Cinema o caminho para 1964.

Em seu trabalho investigativo, Denise remexeu pastas esquecidas, buscou documentos e personagens, fez várias entrevistas e encontrou os curtas-metragens no Arquivo Nacional, aprovando junto à FAPERJ um projeto que, além da memória, recuperou tecnicamente os filmes, já deteriorados pela ação do tempo. 

O resultado deixa evidente a força persuasiva de que foi capaz o IPES. Financiado por pessoas físicas e jurídicas também relacionadas em documentos – destas últimas, cinco arcavam com mais de 70% das contribuições –, o Instituto incutia no brasileiro, principalmente no de classe média, a necessidade de desestabilizar o governo João Goulart. Objetivando neutralizar qualquer reação ao plano conspiratório de derrubada do poder e com um potente discurso anticomunista, o IPES contratou grandes agências de publicidade e produtoras de filmes, editou dezenas de livros, arregimentou intelectuais e profissionais de diferentes áreas, ministrou palestras em empresas e igrejas, fez convênios com universidades, criou cursos e preparou quadros executivos para o governo militar, entre outras ações. 

 

Compartilhe
Share this

testando