C,T&I em crise

Carreira estratégica em último plano
C,T&I em crise
O setor de pesquisa e desenvolvimento aeroespacial continua ganhando destaque na imprensa. Quem ouve as espetaculares notícias do ministro da área pensa que logo o Brasil se tornará uma potência no domínio da exploração e da pesquisa espacial. Tudo falácia! O Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação propala enorme aumento de verbas para o Programa Espacial Brasileiro - PEB, quando na realidade as direciona principalmente aos programas da empresa binacional Alcantara Cyclone Space e à aquisição de um satélite geoestacionário no exterior através da empresa Visiona, formada com capital da Embraer e da Telebrás.

Não é necessário discutir o mérito destes empreendimentos para se constatar que seus contratos não contemplam “transferência de tecnologia”, e que os recursos carreados para estes projetos são em detrimento dos investimentos aplicados no PEB. É fundamental que o país continue a buscar seu desenvolvimento tecnológico por seus próprios meios. Nenhum país entregará graciosamente a outro os resultados de décadas de trabalhos, investimentos e sacrifícios de seu povo em tecnologias estratégicas, como é o caso da área espacial. Temos que trilhar nosso próprio caminho.

Não é o que se constata em breve visita ao INPE e ao DCTA, institutos encarregados da condução do Programa Nacional de Atividades Espaciais. As verbas que recebem chegam a parcos 0,004% do PIB brasileiro - muito abaixo dos demais países emergentes do BRIC - além de serem inconstantes e sujeitas a pesados contingenciamentos, como o ocorrido no início de 2012. O leitor encontrará um retrato desta realidade na cobertura que fizemos do XII Encontro Nacional de Estudos Estratégicos - ENEE. Por fim, os constantes atrasos no cronograma de lançamento do satélite CBERS-3, que o Brasil desenvolve em cooperação com a China, tem trazido novas preocupações para todos os envolvidos na área espacial. Leia nesta edição, com exclusividade, as falhas que levaram ao último adiamento, bem como os riscos e possíveis consequências para a missão.

Compartilhe
Share this

testando