Operação Salina: após 9 anos, VLS é montado na base de Alcântara

Programa Espacial Brasileiro precisa de mais investimentos
Operação Salina: após 9 anos, VLS é montado na base de Alcântara

Nove anos após o acidente ocorrido em Alcântara, servidores retornam à base para montagem do VLS.

Por Fernanda Soares

O SindCT esteve no Centro de Lançamento de Alcântara - CLA no Maranhão, em julho deste ano, para visitar a base e conhecer o trabalho realizado através da Operação Salina, que marca o reinício das atividades relacionadas ao VLS-1 na base.

O objetivo da Operação foi realizar o transporte, preparação e integração mecânica de um mock-up estrutural inerte do VLS-1 – estrutura real do veículo sem combustível a bordo – e ensaios e simulações para verificação da integração física, elétrica e lógica da Torre e dos meios de solo do CLA associados à preparação para voo do VLS-1.
Durante os 26 dias de trabalho os servidores também passaram por treinamento e prevenção de acidentes, com simulação de um acidente com vítimas.

O Ten. Cel. Alberto Walter da Silva Mello Junior, gerente do VLS-1 e Coordenador-Geral da Operação Salina conta que a emoção marcou os 60 servidores do IAE que participaram da Operação, juntamente com a equipe do CLA. Foi a primeira montagem do VLS após o acidente ocorrido em 2003, que marcou tristemente o Programa Espacial Brasileiro com a morte de 21 servidores.

O Ten. Cel. Alberto reuniu as duas equipes de trabalho para a tradicional foto em frente ao VLS-1 montado e muitos não contiveram as lágrimas.

Valderci José Giacomelli, pesquisador que acompanhou a visita do SindCT, confessou: “eu mesmo não consegui me segurar e chorei. Estava aqui quando aconteceu o acidente. Foi emocionante ver o VLS montado de novo na base.”
“A torre mostrou capacidade plena em termos de operação e a Operação Salina teve 100% de sucesso. O pessoal se envolveu, se emocionou e voltou a ter motivação”, disse o diretor interino do CLA, Ten Cel Eng César Demétrio dos Santos.

Nove anos depois
Neste ano, nossos corações estão mais felizes, porque tivemos notícias de que o programa espacial brasileiro, em especial o projeto do VLS, sempre defendido pela Associação dos Familiares das Vítimas do Acidente do VLS - ASFAVV, teve continuidade. Ficamos muito felizes em saber que um grande passo foi dado para que nosso país fique cada vez mais qualificado a participar de programas espaciais arrojados. Ao ficarmos sabendo que a base de lançamento de Alcântara foi reconstruída, com padrões de segurança de última geração, garantindo a segurança das pessoas que nela vão trabalhar, nos deixou com uma sensação de alívio, pois não queremos que uma tragédia igual a que aconteceu no dia 22 de agosto de 2003 se repita.

Nossa homenagem este ano vai para todos as pessoas que trabalham direta ou indiretamente no projeto VLS. Que este seja o primeiro de muitos passos para o avanço do programa espacial brasileiro, de importância máxima para o fortalecimento e respeito de nosso país. As mudanças feitas na base de Alcântara, principalmente na parte de segurança, constituem fator de extrema importância. Basta lembrarmos que já eram necessárias à época do acidente e que, caso as normas internacionais tivessem sido respeitadas poderiam ter evitado aquela tragédia, a perda de grandes profissionais e evitado a dor da perda para as famílias.
Dóris Maciel Cezarinni, ASFAVV

Compartilhe
Share this

testando