Festas Juninas animam noites do Vale

Festas Juninas animam noites do Vale

“Noite fria, tão fria de junho. Os balões para o céu vão subindo. Entre as nuvens aos poucos sumindo. Envoltos em tênue véu. Os balões devem ser com certeza. As estrelas daqui deste mundo. E as estrelas do espaço profundo São os balões lá do céu”.

Por Fernanda Soares
A chegada do frio nas cidades do Vale do Paraíba não desanima a população. Ao contrário, nessa época as festas juninas incentivam os passeios noturnos. Igrejas, associações, asilos e empresas organizam suas festas, seja para arrecadar dinheiro, seja para simplesmente comemorar.

Existem duas explicações para o termo “festa junina”. A primeira explica que surgiu em função das festividades que ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que a festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. Embora sejam comemoradas em todo o país, no nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio.

Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura. O São João de Caruaru, em Pernambuco, possui programação para todo o mês de junho. No primeiro dia de festa, o Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga recebeu 80 mil visitantes.

A previsão dos organizadores do evento é de que, em 2012, um milhão de pessoas passem pela festa, que é considerada a maior do mundo.

O bolinho caipira
No Vale do Paraíba, o sucesso das festas juninas fica por conta do tradicional bolinho caipira. Em algumas cidades o bolinho é preparado com farinha de trigo, em outras, com farinha de milho. Os recheios são variados: linguiça calabresa, carne moída, frango desfi ado, queijo...

Variedades não faltam, nem de sabores, nem de formatos. Sobre o bolinho caipira, o que se pode afirmar com absoluta certeza é que a iguaria é presença marcante nas festas juninas do Vale. Em São José dos Campos, a festa mais antiga acontece no Asilo Santo Antônio. São 74 anos de festas, movidas por voluntários de todas as idades. Giovana Monfredini de Souza, de 12 anos, está colaborando com a festa pela primeira vez.

Ela atende às mesas com a alegria de quem sabe que está ajudando alguém. “A gente se diverte com pouco e os clientes são bem legais”.

A voluntária Elza Carnevalli, conhecida por Maninha, ajuda na festa do asilo há 30 anos. Sobre a fama dos bolinhos, ela afirma: “O bolinho a gente faz com muito amor, por isso ele fica tão gostoso”. E é ela quem ensina a fazer o bolinho caipira do Asilo Santo Antônio.

Aprenda a fazer o bolinho caipira:

INGREDIENTES

MASSA:
2 kg de farinha de milho amarela
1 kg de farinha de milho branca
1 xícara de farinha de mandioca
1 l e 1/2 de água
óleo, sal e água

RECHEIO:
1/2 kg de carne moída
Cebola picada, alho amassado
Salsinha e cebolinha picadas
Sal e pimenta do reino, limão cravo, a gosto

MODO DE PREPARO

RECHEIO:
Bater os temperos no liquidificador e misturar à carne.
MASSA:
1. Em uma vasilha junte as farinhas e vá misturando-as.
2. Adicione o óleo, o sal e água e misture
até formar uma massa que não grude na mão.
3. Separe uma pequena porção da massa, e achate-a na palma da mão
4. Coloque dentro um pouco do recheio (carne temperada crua) e feche
com a própria massa, dando o formato de um bolinho compridinho
5. Feitos todos os bolinhos, frite-os em óleo quente
7. Sirva-os quentes

Compartilhe
Share this

testando