Ciência e Tecnologia III

HISTÓRIA: O resgate do papel das instituições de ciência e tecnologia
SindCT conta história do desenvolvimento do motor a álcool no DCTA

Por Sheila Jacob

Foram dois anos de entrevistas, consultas a jornais, comunicados, cartas, homenagens etc. O resultado, recém-saído do prelo, é o livro A solução brasileira: história do desenvolvimento do motor a álcool no DCTA, escrito pela jornalista Fernanda Soares, do SindCT. Como ela explica, o idealizador da publicação foi o secretário-geral do Sindicato, Sérgio Rosim, que tinha como objetivo esclarecer a população sobre o funcionamento dos institutos de pesquisa.

“Minha preocupação era registrar essa história, pois tinha medo de que se perdesse. Eu e outros diretores percebemos que esta era uma forma de mostrar que as instituições de ciência e tecnologia têm contribuído significativamente para a sociedade”, conta Rosim, para quem o livro também cumpre o objetivo de homenagear os funcionários que têm suas histórias relatadas ali.

As 150 páginas contêm
uma rica documentação, abordando desde o final da década de 1970 até os dias de hoje. A publicação trata do momento de crise do Petróleo e do início do desenvolvimento do motor a álcool no Brasil. Aborda o protagonismo do Centro Técnico Aeroespacial (CTA), como o DCTA era chamado na época; como funcionava todo esse processo; as vantagens em relação à gasolina; o surgimento das novas usinas; experiências com outros combustíveis e o retorno do uso do álcool nos carros flex.

Passando por São Simão (GO), Goiânia (GO), Uberlândia (MG) e Brasília (DF), a autora conta que, além das viagens, foram muitas aventuras para escrevê-lo. “Eu fui a Uberlândia fazer uma entrevista, e na volta, por causa do atraso do avião, perdi a conexão e dormi em Ribeirão Preto. No hotel, conheci um representante de fluido de óleo de motor, que me ensinou como funciona o motor. No voo da volta, conheci um vendedor de maquinário para usina de álcool”, relata Fernanda. Emocionada, ela se lembra do engenheiro Clóvis Michelan, conhecido por muitos como “pai do carro a álcool”. Clóvis foi um dos principais incentivadores da pesquisa, tendo disponibilizado seu acervo e seu tempo para conversar com a jornalista. Por causa de um câncer, não conseguiu concluir sua promessa de escrever o prefácio do livro. Foi internado logo após o pedido e veio a falecer três meses depois.

A primeira edição de A solução brasileira tem tiragem de 2000 exemplares, que terão distribuição gratuita e dirigida, voltada principalmente para parlamentares, sindicatos e bibliotecas do Brasil. A ideia é traduzi-lo para inglês, para que outros países tenham acesso a essa história.

Série Espacializando
Além deste, existe outro projeto do Sindicato em andamento, que propõe a divulgação das pesquisas desenvolvidas no INPE e DCTA. É a Série Espacializando, formada por livros de cerca de 50 páginas escritos por pesquisadores destes institutos. Além da publicação sobre “Satélite e suas aplicações”, estão previstos outros sobre a utilização de energia solar, meteorologia e lançadores. “Com essa série, pretendemos, a partir de uma linguagem simples, dar a conhecer o que está sendo feito”, conta Rosim.

Compartilhe
Share this

testando