Editorial: APÓS AS CONQUISTAS DE 2009, hoje sobra apreensão

Salários e Plano de Carreira

O momento político, administrativo e institucional traz para o INPE um clima de muita apreensão.

O Instituto continua acéfalo, o que não quer dizer muito, porque também está sem rumo.

Aguardamos a nomeação do novo diretor e definições quanto a mudanças da sua missão e subordinação à Agência Espacial Brasileira.

Os servidores públicos federais da Carreira de Ciência, Tecnologia e Inovação entraram em campanha salarial no dia 14 de março, buscando negociações que surtirão efeito em 2013, contra perdas inflacionárias de quase quatro anos.

Em 2009 os salários dos servidores da CTI dobraram após 12 anos sem reajuste, dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso e mais de um de Lula.

Pode parecer que o governo quis resgatar a importância da atividade científica, mas na verdade o que aconteceu foi resultado da intervenção de um homem:

José Alencar, denominado Patrono da Carreira de C&T, no CDTN de Belo Horizonte. Modelo de homem público em todos os sentidos, Zé Alencar deixou ao Brasil uma grande lição de serenidade, humor, coragem, determinação e fé contra o câncer que o levou.

Perguntado se temia a morte afirmou com um grande sorriso: “Se Deus quiser não precisa de câncer pra me levar; se Ele não quiser, não tem câncer que me leve”.

Há um ano, em 29 de março de 2011, foi encontrar-se com o Criador. Em tempo: vice manda sim, viu Zé?

Aquele reajuste só veio porque você mandou.

Você consertou o nosso salário; mas já está estragando de novo, porque não tem política de desenvolvimento científico no Brasil, ninguém entendeu o seu recado, apenas não tinham como negar um pedido seu.

Obrigado, Patrono.

Compartilhe
Share this

testando