Nossa Pauta

Com Raupp no MCTI, comunidade aguarda surpresas

A nomeação de Marco Antonio Raupp para o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) foi elogiada por diversos setores, inclusive pelo ex-ministro Aloizio Mercadante. O SindCT, porém, tem ressalvas.

Por Fernanda Soares, com informações da Rapidinha 01, de 11/02/08

Em 2011, em visita ao INPE, enquanto presidia a Agência Espacial Brasileira (AEB), Raupp anunciou a intenção da fusão do INPE com a Agência, deixando a comunidade e até mesmo o diretor do INPE perplexos.

Enquanto todos se preocupavam com o déficit de servidores na instituição, Raupp arquitetava um plano para transferir servidores para a AEB.

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do DCTA, também faria parte da fusão na proposta inicial, rapidamente descartada.

O currículo de Raupp em C&T é extenso.

Foi professor adjunto da Universidade de Brasília (UnB), analista de sistemas do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, pesquisador titular e diretor do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) e do INPE e professor associado no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME/USP).

Em diferentes momentos, foi presidente da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC) e também tesoureiro, vice-presidente, conselheiro e duas vezes presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

É membro titular da Academia Internacional de Astronáutica (IAA), membro titular do Conselho Superior da Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e membro suplente do Conselho Nacional da Ciência e Tecnologia (CCT).

Em São José dos Campos, foi diretor do Parque Tecnológico, aparecendo constantemente nas Rapidinhas do SindCT, desde 2008, em denúncias de favorecimento no processo de terceirização do Parque.

Relembrando o escândalo do Parque Tecnológico

PÚBLICO X PRIVADO

É constituída a Associação Parque Tecnológico de São José dos Campos, fundada em 17/7/2007, tendo 18 sócios fundadores.

Dentre eles o diretor do INPE, Gilberto Câmara Neto, sendo diretor provisório Marco Antonio Raupp, que fez parte do Comitê de Busca que escolheu Câmara para diretor do INPE.

1 . Em 21/12/2007, às vésperas do Natal, o prefeito de SJC, Eduardo Cury (PSDB), publica decreto abrindo chamada pública para contratar uma organização social (OS) para gerenciar o Parque Tecnológico por cinco anos. Abriu prazo de 35 dias corridos, até 25/1/2008, para apresentação
de propostas de gestão por OS.

2. No mesmo dia (21/12/2007), o prefeito publica outro decreto qualificando, isto é, reconhecendo a Associação Parque Tecnológico de São José dos Campos, de Raupp e Câmara, como organização social.

3. Estes dados permitem a seguinte análise: a Associação Parque Tecnológico de São José dos Campos seria a escolhida para ser a gestora do Parque Tecnológico Municipal por ser a única qualificada pela prefeitura!

Além disso, o atual presidente do Parque Tecnológico da Prefeitura de São José dos Campos, Marco Antonio Raupp, é integrante da associação que se candidata a gerir o mesmo Parque Tecnológico!

Os indícios de favorecimento e direcionamento ficaram tão fortes que até os setores mais conservadores de São José (e excluídos do processo) protestaram veementemente.

Cury recuou chamando uma reunião com estes setores que, curiosamente, saíram da reunião elogiando o processo de privatização do Parque Tecnológico. Há ainda um processo no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TC-000553-007-09) sobre “possíveis irregularidades nos procedimentos adotados no âmbito da prefeitura”.

Projeto Tucano está por trás dos parques tecnológicos

“O projeto de implantação do Sistema de Parques Tecnológicos do Estado de São Paulo já está concluído.

Patrocinado pela Secretaria do Desenvolvimento e implementado no âmbito de um programa especial da FAPESP, o projeto prevê a instalação de parques tecnológicos em sete cidades: São Paulo, Campinas, São José dos Campos, Piracicaba, São Carlos, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. Os parques tecnológicos vão contribuir para a transformação de conhecimento em riqueza.

O estado de São Paulo está pronto para receber um sistema como esse”, justificou o diretor do Instituto de Estudos Avançados, João Steiner (ex INPE e MCT), que ao longo de dois anos e meio coordenou o projeto.

*(Trecho de matéria da Revista Pesquisa FAPESP, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Edição 143, janeiro de 2008.)

Impactos na vida do servidor do DCTA e do INPE

O Parque Tecnológico quer abocanhar os projetos tecnológicos da Engenharia Espacial do INPE e, com isso, dispor de grandes recursos.

Poderia pagar salários nababescos para os amigos da Associação (os chefes) que vão “sentar o relho” nos funcionários comuns do Parque e desmerecer os servidores do DCTA e do INPE.

Num segundo momento serão cobiçados os projetos da área aeroespacial do DCTA.

Os participantes desta articulação política são contra qualquer reajuste salarial ou melhoria na carreira de C&T: querem o servidor público empobrecido, mendigando “bolsas”, “auxílios”, e outras mixarias a eles.

Só os obedientes, “bonzinhos” ou bajuladores seriam agraciados. Os questionadores dos privilégios e maracutaias seriam tratados a pão e água, quando não demitidos!

Tudo isso pago com o dinheiro dos governos, que é dinheiro do povo brasileiro!

O Parque Tecnológico de São José é uma proposta aproveitadora de recursos públicos por interesses privados num modelo escravocrata de gestão.

Agora, Marco Antonio Raupp, que já foi o presidente do Parque Tecnológico, da Agência Espacial Brasileira e diretor do INPE, assume o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Apesar de Raupp ser tipificado como “técnico”, ele já foi presidente local Centro de Estudos e Ciências Políticas do PMDB, a Fundação Ulysses Guimarães, antiga Fundação Pedroso Horta.

Raupp apoia o PSDB

Raupp também doou R$ 1,5 mil para a campanha eleitoral do candidato a deputado federal Emanuel Fernandes (PSDB), em 26/08/2010.

Seu indicado para a presidência da Agência Espacial Brasileira, José Raimundo Braga Coelho, doou R$ 500 para o mesmo candidato em 28/07/2006.

Compartilhe
Share this

testando